Páginas

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Vacaria, RS, 09 de dezembro de 2009

Dia de viagem, todo ele.
Não preguei o olho, gostoso andar de rodas com paisagens verdes e belas, pinheiros.
Aproveitei para rever as formas de chegada, tentando entender o porquê dos últimos dois ‘nãos’. Suposições, só. Difícil analisar estando tão dentro, sendo eu, só. Mas percebi o medo presente em mim desde a chegada nos dois últimos locais.

Já chegava perguntando se havia como sair, horário de ônibus. Já chegava perguntando onde podia ficar, antes mesmo de falar mais do trabalho, de sorrir, só e simplesmente sorrir. E parece-me que, caminhando, atraio o que levo de mais forte, o que vai é o que volta. Tomei, assim, uma decisão.
Reta final, último estado, poucos dias até o Natal, prazo máximo de chegada em Santa Cruz do Sul. Se é alegria que quero levar, assim será: essa é a prioridade. Nada de medo, desconfiança minha, o resto é o resto.

Quintana, ao final de seu poema Canção do Dia de Sempre, que trago nas costas de meu vestido verde pintado na casa da minha mãe, escreveu:

 






E sem nenhuma lembrança das outras vezes perdidas
Atiro a rosa dos sonhos nas tuas mãos distraídas.










Sigo ele, tentarei esquecer as possibilidades de ‘nãos’ que sempre hão de nos acompanhar e procurarei o povoado mais difícil de se ter acesso, o mais difícil de sair. Alegria, só. O não é só outro caminho possível, que leva a outros locais, nem piores nem melhores, outros. Foi isso que aprendi, seja o que for será alegre. Estou disposta a tentar. Um brinde!

2 comentários:

Samuel Giacomelli disse...

Adorei isso!!!
Passarei sempre para saber de tua caminhada!!!

En-frente!

Beijo

Adriana Amorim disse...

Vc sempre muda a minha vida. Com uma palavra. Com uma imagem...